Grupo Interalli contribui para Porto de Paranaguá se manter em primeiro no ranking de sustentabilidade

O Porto de Paranaguá é atualmente o número um do Brasil no Índice de Desempenho Ambiental (IDA), da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) e que avalia a qualidade de serviços ambientais nos portos brasileiros.

Para sair do 26º lugar, em 2013, e passar para  a primeira posição no ranking  de meio ambiente da Antaq a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) contou com a adesão dos terminais que operam no porto paranaense.

O Terminal de Grãos do Grupo Interalli é um exemplo. A empresa investe anualmente cerca de R$1 milhão em projetos e ações para proteção e monitoramento do meio ambiente. O trabalho de controle ambiental engloba, desde a coleta e destinação de resíduos sólidos, até o controle de zoonoses. O Terminal Portuário  da Interalli está entre os terminais graneleiros mais modernos do país, com capacidade para movimentar 3 milhões de toneladas por ano, em duas linhas de embarque que operam 1.500 toneladas por hora cada uma.

O diretor de Meio Ambiente do Porto de Paranaguá, Bruno da Silveira Guimaraes, conta que os resultados obtidos no Porto na área ambiental comprovam a mudança de paradigma.

“O IDA não avalia apenas autoridade portuária, mas a gestão das  empresas que estão na área de arrendamento”, relata. Segundo ele, nos terminais são avaliados quesitos como licenciamento ambiental, plano de emergência, gerenciamento de resíduos, educação ambiental, coleta de esgoto, entre outras ações que comprovem a atuação da comunidade portuária para contribuir com a qualidade ambiental no Porto e no eu entorno

 

Resíduos – O empresário Fabricio Slavieiro Fumagalli, do Grupo Interalli,  conta que apesar de o terminal atuar na movimentação de grãos como soja e milho, existe uma responsabilidade da empresa de garantir a destinação correta de todo o resíduo gerado.

“É uma postura adotada não só por nós, mas por todos os terminais que operam em Paranaguá. Graças a isso, hoje os nossos clientes podem enviar e receber suas cargas no Porto que é líder em qualidade de serviços ambientais no Brasil”, declarou Fumagalli.

O gerenciamento de resíduos sólidos feito pela empresa inclui a separação do lixo em caçambas marcadas por cores conforme prevê a legislação. Também é feita a varrição diária da área do terminal e entorno.

“Após coletados os  resíduos são encaminhados  para empresas de reciclagem, sendo que  o papel é encaminhado para a associação de catadores da cidade e o restante dos materiais são encaminhados para empresas  de destinação final de resíduos”, reforça Fabrício.

Apenas entre os meses de janeiro e julho deste ano, o terminal da Interalli destinou adequadamente 3.471 quilos de papel reciclado, 2.500 quilos de ferro e 1.000 quilos de lixo não reciclável.

Por mês são retirados em média 45 toneladas de grãos, podendo variar para mais ou menos, dependendo da demanda da produção.

Já o Porto de Paranaguá recolhe, em média, 361 toneladas de resíduos orgânicos que são varridos por mês da área portuária.

“Todo o material que cai das esteiras ou dos caminhões e vagões, é varrido e recebe a destinação adequada”, completa Fumagalli.

O trabalho de gerenciamento de resíduos contribui ainda para evitar possíveis focos de mosquito da dengue – ação que integra o programa de meio  ambiente da empresa.

Controle de zoonoses – A Interalli desenvolve um Programa de Controle de Zoonoses, que inclui o combate aos roedores e redução da população de pombas.

“Entre as medidas adotadas está a limpeza e varrição permanente  do terminal, evitando que caminhões que carregam granéis deixem a área sem passar por uma higienização, por meio de jateamento mecânico de ar”, explica Fabrício Fumagalli.

A metodologia, no caso dos roedores, abrange não apenas a eliminação física, mas também a modificação do meio, tornando o ambiente livre da proliferação desses animais, com limpeza e instalação de iscas.

No caso das pombas, para diminuir o número da população é feita a retirada de ninhos e ovos manualmente a cada 15 dias. Ao todo, são retirados 10 a 15 ovos por coleta. Além disso, é realizada a contagem de indivíduos  diariamente para se saber a extensão da população.

Entre as doenças que os pombos podem transmitir estão a criptococose, histoplasmose, ornitose, salmonelose e dermatites.  A sujeira provocada pelos pombos torna o ambiente propício à proliferação de roedores e insetos.

 

Emissões atmosféricas e sócio-ambiental –  A Interalli atua ainda no Monitoramento de Emissões Atmosféricas para avaliar se a qualidade do ar está dentro dos padrões recomendados Lei Estadual do Meio Ambiente.

A empresa realizada ainda, semanalmente, diálogos de segurança  e meio ambiente  com os seus colaboradores. Entre os temas estão combate ao mosquito da dengue, reciclagem, consumo consciente da água, limpeza e organização.

 

 

.

Deixe um comentário