ANP e Energy Paranã assinam contratos de cinco blocos de exploração e produção de petróleo

A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e a Energy Paranã assinaram os contratos de cessão para exploração e produção de cinco blocos de petróleo. A Energy Paranã é composta pelas empresas Petres Energia, braço do Grupo Interalli nas áreas de gás natural e petróleo, e EnP Ecossistemas Energéticos – com 50% de participação cada.

Os contratos assinados são dos blocos ES-T 354, ES-T 373, ES-T 477, TUC-T-139 e TUC-T-147, localizados no Espírito Santo e Bahia. Ao todo, a empresa soma 12 blocos exploratórios.

Para o diretor do Grupo Interalli, um dos sócios majoritários da Petres Energia, Fabrício Slaviero Fumagalli, a oficialização das aquisições demonstra o avanço crescente do mercado de energia. “Temos potencial para ser aproveitado e estamos entrando neste cenário de grandes oportunidades, com investimentos que contribuirão para o desenvolvimento do país”, afirma.

A efetivação da compra dos blocos (clique aqui para assistir a reunião de Diretoria Colegiada) representa a abertura de novas fronteiras de exploração e produção de petróleo.

De acordo com Renata Isfer, também sócia da Petres, a resolução da ANP (Nº 853/2021) que regulamenta a redução de alíquota de royalties para empresas de pequeno e médio portes aumenta a possibilidade de atuação no mercado.

“A aprovação dessa resolução aumenta as chances da viabilidade econômica da produção de petróleo e gás natural nestes blocos. Com a aquisição recente de cinco blocos, totalizando 12, expandimos a oportunidade neste mercado para a Petres, por meio da Energy Paranã, de contribuir com um cenário de segurança energética no Brasil”, declara Isfer. A operadora dos blocos será a Imetame – empresa que faz consórcio com a Energy Paranã.

Sobre a Petres – A Petres Energia é especializada no desenvolvimento de projetos de exploração, produção e de infraestrutura em óleo e gás natural.  Petres tem como sócios majoritários o Grupo InterAlli – que já atua nas áreas de infraestrutura portuária, incluindo a operação de grãos e líquidos, logística, energias renováveis e agronegócio – e Renata Isfer, que atuou como Secretária de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia (MME).